domingo, 10 de abril de 2011

Mobilização médica 2.

A postagem anterior (05/04) provocou comentários e indagações de pacientes e de leitores deste blog, alguns fazendo vínculo direto do profissional médico aos convênios, como se o convênio fosse o médico e vice-versa e não compreendendo muito bem a razão da paralização; parecia ignorarem que o médico, no final das contas, é um ‘contratado’ que executa um trabalho – Exceto UNIMED na qual os médicos são cooperados.

Por essa razão volto a esse assunto para publicar parte da reportagem que o jornal MEDICINA, do Conselho Federal, trouxe em sua edição 194 de março deste ano.

…”Com a mobilização busca-se justamente a melhoria na oferta de serviços aos pacientes, que atualmente chegam a esperar até três meses para a marcação de uma consulta em algumas especialidades ou procedimentos. Sem contar com os problemas causados pela glosa de procedimentos solicitados.

Pesquisa do Datafolha revela que 92% dos médicos credenciados reclamam que as operadoras interferem nos diagnósticos e nos tratamentos dos pacientes.”

A reportagem lista as reivindicações, as ações programadas e também aborda o fato de que, apesar de estarem bem financeiramente, as operadoras dos convênios não remuneram adequadamente os médicos, como demonstrado nas tabelas abaixo.

Convenio 1 Convenio 2

Nenhum comentário:

Postar um comentário