domingo, 27 de março de 2011

Lentas mudanças.

Um amigo sugeriu que eu colocasse uma foto de fundo no Homeopatia.Med para melhorar seu visual, como não encontrei, entre minhas fotos, alguma que me agradasse plenamente, resolvi produzir uma… Nessa faina dei com os olhos em uma preciosidade que ganhei, anos atrás, de outro desprendido amigo que também é homeopata - O livro

Livro Dr.Bruckner Fiz as fotos que acabei não usando e, fã de livros, aproveitei para, cuidadosamente, dar uma folheada nessa raridade necessitada de restauração e, novamente,  admirei o prefacio do Dr. Nilo Cairo que, por ser muito longo, resolvi compartilhar em parte… 

Prefacio 1

Prefacio 2

Prefacio 3

Prefacio 6 Excetuando o fato de que atualmente, nos Estados Unidos, poucos médicos prescrevem medicamentos homeopáticos, esse prefácio, escrito há 87 anos, é atualíssimo e me chamou a atenção o que o autor escreveu à respeito dos comportamentos arraigados; lembrou-me as referências da postagem Condição Humana / Hábitos de 07/03/2010…E fui procurar…Nilo Cairo (1874 -1928), William S. Sadler (1875 - 1969) e Moshe Feldenkrais (1904 - 1984) por bons anos andaram ao mesmo tempo por aqui, talvez tenham se conhecido ou conhecido o trabalho uns dos outros, não importa, o que importa mesmo é a validade dos conceitos e vou parar por aqui pois o fim de semana passa rápido e ‘A curiosidade matou o gato’.

domingo, 20 de março de 2011

Botica Caseira.

Circulam ‘boca a boca’ e também pela internet receitas e mais receitas de medicamentos caseiros; mesmo sem comprovação oficial muitas delas prestam excelente ajuda nas mazelas do dia a dia. Tenho selecionado algumas que julgo mais eficazes e, apesar de não ter experimentado todas, as publicarei em:

 Botica Caseira na coluna lateral (Sidebar) deste blog.

Serão recebidos de bom grado contribuições de novas fórmulas e relatos dos resultados do uso das que forem publicadas o que contribuirá, paulatinamente, para uma coletânea de maior eficácia.

É necessário atenção ao fato de que as pessoas respondem de forma particular aos medicamentos sendo que o uso das receitas não dispensa o acompanhamento médico.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Botica Caseira – Gases.

FunchoChá de funcho (Foeniculum vulgare) tem ação anti-espasmódica.

A base da haste pode ser usada como alimento; os frutos, que são chamados de sementes, são empregados na forma de chá como estimulante das funções digestivas, para combater cólicas e eliminar gases.

Triture uma colher de chá de sementes, coloque em 250 ml de água fervente e deixe descansar por 10 a 15 minutos. Beber várias vezes ao dia sem açúcar.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Botica Caseira – Repelente.

REPELENTE:

1/2 litro de álcool;

1 pacote de cravo da Índia (10 gr);

1 vidro de óleo de nenê (100ml)

Deixe o cravo curtindo no álcool por quatro dias, agitando pela manhã e à tarde.
Depois coloque o óleo corporal (pode ser de amêndoas, camomila, erva-doce, aloe vera).
Uma gota nos braços e pernas repele os mosquitos. Também espanta formigas da cozinha e dos eletrônicos, afasta as pulgas dos animais.

OBS. Usar com parcimônia, o cheiro forte pode ser desagradável para algumas pessoas.

domingo, 6 de março de 2011

Olhos da alma.

A algazarra das maritacas, na jabuticabeira da casa vizinha à minha, chamou-me a atenção… Quando, menino ainda, me mudei para Uberlândia, esta cidade era muito menor; vim morar a duas quadras de onde moro hoje, mas a paisagem e a vida que eu vislumbrava eram diferentes e, entre outras coisas, era comum observar, além dos atrevidos pardais; rolinhas, tizius e coleirinhas nos terrenos baldios perto de casa. O que antes era quase periferia da cidade hoje é centro e, apesar de continuar vendo pardais e algumas rolinhas, não vejo tizius nem coleirinhas; mas vejo pássaros que antes, ariscos, não se acercavam. Pombas do bando pernoitam nas árvores das praças centrais, bem-te-vis me acordam bem cedo, curicacas ‘adquiriram’ um espaço na caixa d’água de um edifício e tucanos freqüentamimage o alto dos prédios.

Porque esses pássaros mudaram de comportamento? Na realidade não mudaram, só mudaram de lugar, tornou-se mais viável para eles viver nas cidades; a vida nos descampados produzidos pelo desmatamento é desconfortável e mais arriscada; mas o comportamento é o de sempre, e é instintivo... Sobreviver da melhor maneira possível ainda é a ‘palavra de ordem’.

Me indago porque nós, humanos; que também estamos passando por ‘maus pedaços’; não fazemos como os pássaros, usamos nosso instinto de sobrevivência e nos mudamos. Mas mudar para onde? Não há para onde mudar, e mesmo se houvesse não adiantaria muito, provavelmente tudo iria ser repetido pois, infelizmente, levaríamos conosco nossas ‘tralhas’ mentais, nosso comportamento adoecido, nossa cegueira...

Talvez seja isso! Talvez devamos mudar de médico… Vamos procurar o oftalmologista, mas que seja um especialista em olhos da alma e que possa nos fazer voltar a enxergar por eles, já que instinto é atributo da alma e não da mente...

É verdade! Pássaros não têm uma mente suficientemente desenvolvida para atrapalhar a visão dos olhos da alma, por isso, para eles é bastante mudar de lugar.

terça-feira, 1 de março de 2011

Só após o carnaval.

Um mês inteiro sem escrever… Chego à conclusão que minha inspiração não voltou das férias, encontra-se ainda balançando nas ondas do mar que visitei… Lembrei-me de Rogério Newton, escritor piauiense que conheci nas minhas andanças e que em seu livro pescadores da tribo  – assim mesmo, em minúsculas –, sob o título falta de assunto escreveu:

“Hoje vou escrever nada. Não tenho assunto. Vasculhei a semana inteira, os dias fingiam-se áridos. Procurei no passado dos últimos meses, dos últimos anos, ansioso, aflito, quase à beira do desespero, um episódio, uma pessoa, uma casa, uma praia, qualquer coisa com seu novelo, de onde pudesse puxar o fio e tecer um texto, e nada. Folheei revistas, socorri-me de jornais velhos amontoados num canto, ouvi música, caminhei sem destino, telefonei a amigos, vi tv, engoli fumaça no centro da cidade, quase atropelo transeuntes, comprei um livro de odes, e tudo era assunto e ao mesmo tempo não era…”

Assim estou, nada é interessante o bastante, tudo que passa por minha cabeça penso que todos conhecem de sobra e que seria ‘chover no molhado’; desisto e jogo paciência… Paciência; mas fiquei curioso em saber em que época do ano a falta de assunto acometeu Rogério; talvez essa nossa ‘desinspiração’ seja sintoma desta síndrome letárgica, estranha e indesejável que, nos inicios de ano, acomete muitos de nós e que explicaria o dito - No Brasil as coisas só andam após o carnaval.

Calosidades.

Para tratar calos - Dissolver 10 cps de melhoral em um frasco de água oxigenada 30 volumes. Aplicar nas calosidades 2x ao dia.

Obs: O ácido acetil salicilico é esfoliativo.