sábado, 23 de outubro de 2010

Protesto político 2

O objetivo deste blog está definido em seu cabeçalho: ...abordar o tema saúde..., então porque duas postagens sobre política em curto espaço de tempo?

Primeiro porque é a ‘bola da vez’; estamos em momento eleitoral, ápice dos processos políticos partidários.

Segundo porque minha saúde emocional está em jogo... Pelo que tenho ouvido, lido, visto, presenciado e sentido nas últimas semanas, tenho pensado que preciso mudar; pois em um país de milhões de ‘animais políticos’(1), com milhares de indivíduos adequados, ter que optar por Péssima ou por Péssimo que, todos sabem, não é o primeiro, só mudando mesmo... Mas, aí o impasse... Mudar de morada ou mudar de atitude?

E em terceiro...

A saúde da população depende de quê? – Das  ações dos governos em termos de Saúde Pública  e das ações próprias dos cidadãos, dos quais sou um; mas nossas ações, não só em termo de saúde propriamente dita, dependem em grande parte de condições encontradas no meio em que vivemos e alheias aos nossos desejos e influência, e pergunto:

Depende de quem?

- A qualidade do ar que respiramos...

- A qualidade da água que temos nos cursos d’água e nas torneiras...

- A qualidade do que encontramos para comprar e comer...

- A qualidade dos caminhos por onde andamos...

- A qualidade dos medicamentos que encontramos nas farmácias...

- A qualidade da segurança que necessitamos?

Posso encher paginas e paginas com perguntas semelhantes, é obvio que dependemos das ações politicas para praticamente tudo, nossa autonomia individual acontece em um panorama que as ações politico governamentais determinam, aprovam ou ‘esquecem’... Mas quero fazer a pergunta crucial...

- A QUALIDADE DO ENSINO DEPENDE DE QUEM?

Em sendo a educação, o único caminho possível para a evolução individual e coletiva, evolução que propiciaria um viver ético, harmonioso, justo e saudável, e ‘desconfiado’ de que os políticos, com auspiciosas exceções, se esquivam principalmente desta responsabilidade, tenho que reconhecer que minha atitude, como a de muitos outros, de cuidar da própria vida está resultando em malefício para a saúde coletiva e para minha saúde e que, ao invés de mudar de morada, pois que toda morada está sob algum governo, tenho que mudar de atitude.

(1) “O homem é um animal político”  Aristóteles.

domingo, 17 de outubro de 2010

Fotos e Lembranças.

Feriado prolongado...

Dias inteiros de ‘dolce far niente’...

Não viajei com a família...

Fui rever fotos de viagens passadas.

…Viagem e vida têm semelhanças!

Alguns dizem que viajar é viver, há quem diga que a vida é uma viagem… De minha parte sei de gente que vive viajando e não vive, também conheço quem nunca viajou… mas como vive!

Nem a vida nem as viagens têm como ser totalmente programadas, sempre existem as surpresas e aí entra o ‘jogo de cintura’ do ‘viajante’… jogo que é aprimorado, pela prática, na viagem da vida… quem não pratica ‘apanha’ com mais freqüência.

A  vida e as viagens têm classificações diferentes, mas sejam de ‘primeira classe’ ou de ‘mochila’ devem ter em comum, pelo menos, um rumo, sob pena do ‘viajante’ ficar andando em círculos.

Tem ‘viajante’ que só pensa no destino e não usufrui do trajeto; também há aqueles que se perdem no trajeto e não chegam.

Da vida e das viagens guardamos fotos  e lembranças… o que fala ao coração do ‘viajante’ atrai seu olhar e se transforma em lembranças e em fotos; as lembranças, por serem voláteis, muitas vezes são recuperadas através das fotos... as fotos são mais estáveis!

E como gostamos de revisitar nossas fotos e nossas lembranças! Se iludidos só temos boas fotos e boas lembranças… Se pessimistas só temos más… Se mais equilibrados temos das duas mas preferimos as boas.

 nas Minas Gerais … viagem pelas Minas Gerais.

Interessante observar como as pessoas são diferentemente afetadas pelo viver e pelo viajar; nos repertórios homeopáticos, entre centenas de situações e sintomas relacionados a isso, encontramos Desejo de viajar, e me surpreende esta rubrica ter somente 23 medicamentos, acho pouquíssimo considerando o ‘vai e vem’ nas menores oportunidades.

Talvez porque o viver esteja tão desgastante que o viajar está tão desejado… Numa relação mais de equilíbrio que de semelhança viajar seria uma trégua, uma pausa para ‘respirar’ antes de, compulsoriamente, seguirmos  adiante.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Protesto politico.

Em meados do século passado, como protesto contra o baixo nível dos candidatos a vereador, os eleitores paulistanos votaram maciçamente em Cacareco; acontece que Cacareco não podia ser eleito, ele era um rinoceronte do Zoológico da cidade mas, mesmo assim,  recebeu cerca de 100 mil votos, o bastante para eleger dez candidatos.

Naquele tempo, as eleições eram realizadas com cédulas de papel na qual os eleitores escreviam o nome do candidato de sua escolha; hoje, com as urnas eletrônicas, isso não é mais possível, mas é possível algo muito pior.

Cacareco ganhou, mas não levou, o protesto cumpriu sua função e ficou nisso; hoje os votos de protesto em 'cacarecos' representam um 'tiro no pé' não só de quem neles vota, mas de todo brasileiro, pois os 'cacarecos' eleitos assumem as cadeiras com suas prerrogativas e com seus vencimentos, já as obrigações!

Quando  o filósofo francês Joseph De Maistre escreveu "cada povo tem o governo que merece", ele teve a intenção de criticar, não o governo, mas aqueles que tendo o direito de escolher não o faziam direito e, portanto, mereceriam os desmandos dos eleitos; mas no Brasil votar não é um direito, é uma obrigação, e aqueles que votam por desejarem e conscientemente não têm o governo que merecem, mas sim o que lhes é imposto por uma maioria, não esclarecida politicamente, obrigada a votar.

Não me espanta que pessoas com pouco conhecimento politico votem em 'cacarecos’, acho que é até de se esperar; espanta-me que pessoas com conhecimento permitam que 'cacarecos' sejam candidatos, o que me faz imaginar o que existe por trás de tal permissão; intencionalidade, descaso ou insanidade? Seja lá o que for não é boa coisa!

Mas, "Mea culpa”... Estou 'pago para ficar calado'... Igual a muitos dos ‘conscientes’ sou muito ocupado, não sou filiado a nenhum partido, não participo de nada que tenha conotação política, entrego a outros a aprovação das candidaturas de 'cacarecos'; portanto volta a valer o dito de De Maistre... Também eu, igual a muitos, tenho o governo que mereço, mesmo que indiretamente.